Gazeta Rondônia Publicidade 728x90
27/02/2023 às 10h02min - Atualizada em 27/02/2023 às 10h02min

Ex-namorada que cegou tatuador ao jogar ácido em seu rosto é indiciada por perseguição e lesão gravíssima

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

A mulher que jogou ácido no rosto do tatuador de 31 anos o deixando cego, em Campo Grande, vai ser indiciada pelos crimes de perseguição e lesão corporal gravíssima, segundo o delegado do caso Felipe Madeira. Ela ainda é procurada pela polícia.

O delegado disse ao Jornal Midiamax que a mulher será indiciada nesta segunda-feira (27), pelos crimes de perseguição com pena que vai de 6 meses a 2 anos e por lesão corporal gravíssima com penas que vão de 2 a 8 anos de prisão. 

Madeira ainda falou que nesta segunda será expedido uma intimação e encaminhada para sua casa, e caso não seja localizada, entregue a um vizinho para que ela vá até a delegacia para depor sobre o caso. O caso será relatado e enviado ao judiciário. Ela ainda não foi localizada pela polícia.
 
Tudo aconteceu na noite de quarta-feira (22) na Travessa Quernita, no Aero Rancho, quando o tatuador chegava em casa. A mulher chamou o tatuador para conversar e, quando ele se aproximou, jogou um líquido corrosivo no rosto dele.

Mensagens enviadas 1 dia antes

Um dia antes de ser atacado com líquido corrosivo, o tatuador respondeu as mensagens da ex deixando claro que não queria mais nada com ela.
 
"Eu não vou na porta da sua casa te incomodar não. Por isso que eu não me envolvo mais com você. Aqui dentro você não entra nunca mais, nem de amigo e nem de inimigo". Afirmou em mensagem.

Entre os áudios trocados com a suspeita, o tatuador ainda explica que no começo estava tentando ajudá-la, já que ela estava com depressão e sem dinheiro, mas que não tinha como fazer isso todos os dias e ela precisava seguir a vida dela.
 
“Você ligou, ligou, ligou. Mandou mensagem falou que queria me ver, que nós tínhamos tratado de se ver, entendeu. Não se passa na minha cabeça a voltar com uma pessoa que sempre atrasou meu lado. Não se passa mais na minha cabeça isso. Então eu fiz assim para tentar ajudar um pouco, mas não vou ficar fazendo isso todo dia, toda semana”, afirma.

 
“Eu tô deixando bem claro que a qualquer momento eu vou se envolver com alguém. Esses dias eu estava em relacionamento sério, mas não deu certo e foi cada um para o seu lado. Eu tô fazendo a minha caminhada, enquanto você está aí tentando voltar comigo eu já estou fazendo outras caminhadas. Você tem que mudar seu pensamento e saber que eu não vou mais voltar porque não quero mais andar para trás”, diz o tatuador.

Com voz de quem está chorando, a mulher responde que entendeu.
 
"Tá bom então, eu entendi. Acabei de ver suas mensagens aqui, eu só queria te ver, só isso. Não precisa ficar bravo. Só queria te ver como amigo, só", diz ela aos prantos, horas antes de deixá-lo cego.
 
Tatuador fala sobre crime
 
"Ninguém desconfiava da maldade dela". Vítima da ex-namorada, o tatuador disse acreditar que houve premeditação e que impedi-lo de trabalhar e de ter uma vida sem ela era o objetivo.

 
"Sempre trabalhei em casa, meu estúdio sempre foi em casa, até mesmo quando morei com ela. Nós ficamos juntos por 4 anos e estávamos separados há 4 meses. Eu saí de casa porque ela tinha esse ciúme", disse.

O tatuador relata que após o primeiro término, chegaram a reatar apenas uma vez - a gota d'água ocorreu quando ele teria sido agredido pela então namorada, que chamou a polícia e o acusou de ser autor de agressões contra ela.
 
"A gente chegou a reatar daquela vez. Eu tinha sofrido um acidente e machucado o pé. Estava usando muletas. Mas tivemos essa briga e ela me atacou. Eu coloquei as muletas na frente, para me defender, mas ela pegou e me deu um golpe na barriga e chamou a polícia, que disse pra eu me afastar dela. Quando a polícia chegou a ir em casa, terminei de vez", disse.

Fonte: MídiaMax.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »