16/03/2023 às 19h34min - Atualizada em 16/03/2023 às 19h34min

Thiago Flores compõe Comissão de segurança pública e combate ao crime organizado da câmara federal

Gazeta Rondônia
Asssessoria

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

As Comissões Permanentes da Câmara dos Deputados foram instaladas hoje (15) com a eleição dos Presidentes que ficarão no mandato pelo período de um ano. Logo após a posse no mandato parlamentar, os deputados informam aos líderes partidários quais são as comissões que eles gostariam de fazer parte. Os líderes fazem a contabilidade das vagas em cada comissão e indicam o parlamentar conforme suas especialidades e preferências. Na tarde de hoje, a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado foi instalada e sua composição chamou a atenção por ter o maior número de profissionais da segurança pública de toda a história.
 
Um deles é o deputado federal Thiago Flores (MDB), único parlamentar de Rondônia que irá compor a comissão que tem por objetivo principal abordar temas como: prevenção, fiscalização e combate ao uso e tráfico de drogas, combate ao contrabando, crime organizado, sequestro, lavagem de dinheiro, violência rural e urbana, controle e comercialização de armas, proteção a testemunhas e vítimas de crime, segurança pública e seus órgãos institucionais, recebimento, avaliação e investigação de denúncias que afetem a segurança pública, sistema penitenciário, legislação penal e processual penal.

 
“Estou muito feliz por tomar posse hoje, não só na comissão de segurança pública, como também na comissão de agricultura. Acredito que essas duas opções representam bem o estado de Rondônia e estão indiretamente interligadas. Em um cenário de insegurança pública, os grandes investidores preferem não arriscar. Por isso, precisamos fortalecer esses segmentos para que Rondônia continue crescendo continuamente e com segurança”, enfatizou o deputado federal Thiago Flores, delegado da polícia civil do estado de Rondônia.

A criação da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado ocorreu em 2002, por recomendação da CPI do Narcotráfico e desde então é uma das mais atuantes da Câmara Federal.

Assessoria.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »