20/06/2021 às 21h30min - Atualizada em 20/06/2021 às 21h30min

*CONFUCIO MOURA: Artigo “O gasto deve ser bem gastado” (educação)

Gazeta Rondônia
Assessoria
(Este artigo foi escrito em 12 de julho de 2009 – não mudo nada. reescrevo-o hoje 20.06.2021)

Só a educação é o poderoso instrumento de se combater a injustiça. Só e somente só.  E mais nada. Nesse quesito, sou radical e não abro.

Por mais esforço que se possa fazer, por mais dinheiro que se possa gastar, a educação brasileira como está, no geral brasileiro, do Rio Grande do Sul ao Amapá – nada mais é do que se jogar dinheiro na lata do lixo. É o gasto mal-gastado. É o tempo mal-usado.

É fingir que se ensina e fingir que se aprende. Embora, a bem da verdade, o gasto de energia é grande, o esforço existe, mas dentro de um sistema precário.  Pouco ou nada muda. E assim o país segue no reco-reco, no solavanco, no discurso vazio, como um grande plantador de safras de gerações perdidas.

Como tudo é um sistema plenamente inconsciente, como os planetas que giram em torno do sol, a educação também tem o seu movimento translação. Por ele seguirá assim até o fim dos tempos. Será preciso um “big bang” educacional, na base da teoria da desconstrução (Jacques Derrida) para peça a peça poder-se reconstruir um novo sistema.

Não fico com nenhum vexame de dizer essas coisas, porque estou convencido e certo. Só com uma revolução poderemos mudar essa pasmaceira geral e abrir os braços deste país e dizer bem alto “venha pra dentro, meu filho”. Chamar os meninos brasileiros pra dentro do Brasil.  Não basta a criança ir pra escola. O professor também deverá voltar à escola.  Assim, os dois voltando a estudar e aprender os rumos da educação, recomeçaremos por uma nova ordem.
 
*O autor é Senador da República
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »