06/08/2021 às 08h57min - Atualizada em 06/08/2021 às 08h57min

15 anos da Lei Maria da Penha: Policia de Rondônia recebe denúncias via aplicativo

O aplicativo conta ainda com o botão de pânico, que aciona a polícia imediatamente

Gazeta Rondônia

Como forma de otimizar o serviço de Segurança Pública à comunidade rondoniense, o Governo de Rondônia, por meio da Polícia Militar (PM), lançou, em março, o aplicativo “PMRO Cidadão”, que permite, por intermédio de tecnologia facilitar o trâmite de denúncias, atendimento especializado de violência contra a mulher, inclusive o envio de fotos, vídeos ou áudios de ocorrências na sociedade em geral.

Além dessas solicitações, os usuários podem ainda, contar com o sistema de georreferenciamento, possibilitando o fácil acesso das viaturas até à localização do solicitante. Permite que as pessoas se aproximem e interajam com os projetos que são desenvolvidos pela PM. Com o novo programa, as chamadas de emergências serão recebidas, exclusivamente, pela equipe qualificada do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), que dará todos os encaminhamentos legais para atender e solucionar os casos. Para o acionar a linha, a identificação do cidadão tem que estar registrada no sistema, o que reduz antigas práticas irregulares, como o “trote telefônico”.

Aplicativo vai receber denúncias e ajudar no combate à violência doméstica, em Rondônia.

O comandante-geral da Polícia Militar de Rondônia, coronel Alexandre Almeida, comenta que o surgimento do aplicativo deu visibilidade aos trabalhos operacionais de segurança e à comunicação do departamento público. “Esta forma de atendimento é mais aceita pela população do Estado, à medida que conseguimos evoluir na entrada dos processos de denúncia. Anteriormente, as pessoas precisavam chamar a polícia quando necessitavam do serviço, o que gerava um grande congestionamento em nossas linhas telefônicas. Desta vez, estamos adicionando a tecnologia à disposição deste trabalho”, explica.

Atualmente, o aplicativo conta com mais de mil downloads, desde o seu lançamento realizado no mês de fevereiro. Além dos trabalhos principais de denúncias, o usuário pode conhecer outros serviços como o site institucional e o “museu virtual” da Polícia Militar de Rondônia. Ainda, estão em andamento o desenvolvimento de novos projetos que irão trazer mais engajamento do órgão para à sociedade.

COMO FUNCIONA O “PMRO CIDADÃO”

No aplicativo, o usuário pode acionar de forma rápida e eficaz, informando os dados do solicitante, o tipo de ocorrência, denúncia ou incidente, informações sobre eventuais práticas de violência corporal, fotos, vídeos ou áudios, indicação do local exato, data e hora do fato. Os detalhes são enviados através do aplicativo mobile gerenciado pelo Ciop, que faz uma triagem das informações repassadas para avaliar a gravidade dos fatos, acionando a guarnição da PM para o atendimento. Com isso, permite mais agilidade na comunicação, inclusive o auxílio previamente do serviço policial até o local.

Segundo o diretor de informática da corporação, major Douglas Marink, logo no início, o programa exercia somente a finalidade de denúncias. “Em parceria com a Polícia Militar e o Poder Judiciário, fizemos um investimento para aprimorar o aplicativo, principalmente no que se refere à proteção à mulher. As funcionalidades do cidadão já estão completas, porém, estamos buscamos qualificar os demais setores de serviços para melhor atender a comunidade rondoniense”, reitera o diretor.

ACESSO E CADASTRO

Para baixar e utilizar os serviços do “PMRO Cidadão” é necessário possuir um dispositivo móvel com sistemas operativos Android (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.ro.pm.pmrocidadao) ou IOS (https://apps.apple.com/br/app/pmro-cidad%C3%A3o/id1535839641), com tecnologia de dados móveis ou Wi-Fi e GPS.

O cadastro exige: nome, CPF, foto, data de nascimento, contato eletrônico (e-mail), telefone, endereço, além de outros dados complementares do usuário. Essas informações pessoais são confidenciais e utilizadas somente pela equipe responsável da Polícia Militar para auxiliar e proteger o cidadão. Também é necessário aceitar a política de privacidade e segurança da informação.

Para fornecer o melhor funcionamento, o cidadão deve sempre manter o telefone e cadastro atualizados, pois caso seja necessário, uma equipe qualificada entrará em contato pelo número registrado para atender o usuário em sua emergência.

PROTEÇÃO À MULHER

A proteção à mulher, amparada pela Lei Maria da Penha 11.340, de 7 agosto de 2006, é outro serviço desempenhado pela Corporação, onde é oferecido uma assistência especializada por meio do chamado “botão do pânico”. O diretor do Departamento de Comunicação da PM de Rondônia, major Alex Miranda, destaca a importância e o benefício que tem gerado uma prestação de serviço mais próxima da realidade de violência doméstica encontrada na região. “Nos casos de violência contra a mulher, o ícone do “botão de pânico” só aparece quando a vítima relata o fato pela primeira vez à polícia e, quando cadastrado em nosso sistema, é disponibilizado acesso especializado para ela. O serviço é prático e emergencial, oferecendo segurança e confiança a essas pessoas que tanto necessitam”, complementa major Miranda.

Cadastre-se, denuncie! Você nunca sabe quando precisará acionar o botão de pânico! Fonte SECOM


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

37.5%
4.5%
5.7%
11.4%
40.9%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp