14/08/2021 às 14h13min - Atualizada em 14/08/2021 às 14h13min

Unir e Ifro não têm previsão de retomar aulas presenciais em 2021

Gazeta Rondônia

A Universidade Federal de Rondônia (Unir) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) informaram ao G1 que não possuem previsão de retorno às aulas presenciais em 2021. As duas unidades atuam de forma on-line desde março de 2020, quando os primeiros casos de Covid-19 foram registrados no estado.

Em dezembro do ano passado, o Ministério da Educação (MEC) autorizou que as aulas presenciais fossem retomadas nas instituições federais a partir de março de 2021. No entanto, segundo a assessoria da Unir, cabe à cada unidade seguir, ou não, de forma remota, considerando o cenário pandêmico local.

O último decreto estadual autoriza a retomada das atividades presenciais também nas instituições privadas de ensino.

 

Cenário do Ifro

A maioria dos estudantes do Ifro retomaram o 2º semestre letivo no dia 02 de agosto deste ano. Com exceção de alguns grupos que começaram as atividades uma semana antes e outros depois. Todos os cursos e turmas estão em pleno funcionamento, mas apenas de forma remota, segundo a instituição.

"O que existe é um plano de retorno gradual para retomar atividades práticas de algumas disciplinas, mas ainda não há nada definido", informou a assessoria.

 

Situação da Unir

 

Os alunos da Unir estão com calendário acadêmico atrasado, pois no início da pandemia as aulas foram suspensas por mais de um semestre. Atualmente os estudantes estão cursando o 2ª semestre de 2020 e a previsão é que o ano letivo de 2021 inicie apenas em novembro.

Por enquanto a universidade também continua com aulas remotas. Apesar disso, todos os cursos estão funcionando e as pesquisas não foram interrompidas.

Deve ser analisada a possibilidade de retomar as atividades presenciais no próximo semestre, conforme o avanço da vacinação contra Covid-19.

"Isso vai depender das condições sanitárias de cada cidade, então não é uma coisa unificada, varia muito de campus para campus. Não é algo que já está definido: data, dia e horário", disse a assessoria da Unir.

Os conselhos superiores e o comitê interno de gerenciamento da Covid, formado por pesquisadores e professores da área da saúde, devem analisar a possibilidade. O principal critério de decisão é a taxa de vacinação de todo o corpo docente e alunos.

 

"Os nossos alunos são muito jovens. A maior parte, segundo as informações que nós temos, sequer tomou a primeira dose", informou a universidade.

 

Seleção de novos alunos

 

Como forma de tentar diminuir os prejuízos da pandemia na educação, principalmente após o Exame do Ensino Médio (Enem) registrar o menor número de inscritos em anos, a Unir definiu novos métodos de seleção.

"Considerando que muita gente sequer conseguiu fazer a prova no Enem este ano, a universidade abriu a possibilidade do aluno escolher uma das notas dos últimos três anos", anunciou.

Outro método estabelecido é utilizando o histórico escolar do ensino médio. Serão levadas em consideração as notas de duas disciplinas: língua portuguesa e matemática.

Esse processo será dividido em dois momentos:

  • inicialmente através das notas do Enem, quando a universidade deve preencher a maior quantidade possível de vagas;
  • caso tenham vagas remanescentes, será desenvolvida a segunda etapa utilizando o histórico escolar.

 

Segundo a assessoria, ainda não há muitos detalhes sobre o processo, considerando que a comissão ainda vai elaborar o edital. Fonte G1


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

40.6%
2.9%
5.8%
11.6%
39.1%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp