31/08/2021 às 22h15min - Atualizada em 31/08/2021 às 22h15min

COLORADO DO OESTE: Alunos do IFRO são vencedores da 6ª edição do concurso de redação da Defensoria Pública da União

Gazeta Rondônia
Os alunos do 3º ano do curso Técnico em Agropecuária do IFRO-Campus Colorado, por meio do projeto Oficina de Textos, são vencedores da 6ª Edição do Concurso de Redação, promovida pela Defensoria Pública da União, que teve como tema “Entre o céu e o asfalto: onde está a dignidade da população em situação de rua?”.

O concurso, destinado aos alunos do ensino fundamental e médio do Brasil, intentou “fomentar discussões acerca da população em situação de rua”, bem como “aumentar o nível de conscientização da sociedade acerca das violações dos direitos dessa população e do reconhecimento das pessoas em situação de rua como sujeitos de direitos, educando para o exercício do papel de todos na contribuição para cessar tais violações, para o que é instrumental o serviço de assistência jurídica gratuita prestado pela Defensoria”.

Para a realização do Concurso, a Defensoria Pública da União, contou com a parceria da Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO, do Conselho Nacional de Secretários de Educação – CONSED, da Secretaria da Receita Federal do Brasil, da Secretaria de Educação do Distrito Federal e do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo – SINASE.
Os alunos do IFRO – Eduarda Caroline Machado de Souza, Priscila Hurtado Teodoro e Uender Henrique de Oliveira Canuto – alcançaram o 1º, 2º e 3º lugares, respectivamente, na categoria Redação II, destinada a alunos do 1º ao 3º ano do Ensino Médio, Regular e Ensino Técnico, bem como da modalidade Jovens e Adultos - EJA.

Confira o resultado final oficial na página da Defensoria Pública da União

Em conversa com o professor Moisés José, coordenador do projeto Oficina de Textos, disse estar muito feliz com o resultado e que o êxito dos alunos confirma a tese de que, quando se quer, quando se esforça, o resultado aparece. 

“Esses alunos estão de parabéns. Hoje temos aqui a Eduarda, a Priscila e o Uender com textos premiados, mas muitos outros que participaram e participam do projeto Oficina de Textos avançam a cada dia na escrita de textos. É importante que se diga que não são apenas textos escritos, mas pontos de vista de pessoas muito jovens, mas que já conseguem fazer leituras bastante aprofundadas de assuntos socialmente relevantes. A sociedade precisa que os jovens reflitam, posicionem-se, tragam ideias novas e ajudem a construir uma sociedade justa, em busca do bem-comum.”, destacou o professor Moisés José.

A aluna Eduarda revelou ter sabido do Concurso por meio da participação no projeto Oficina de Textos.

“Me lembro de ter utilizado o material fornecido pelos professores, e ter aprofundado meus conhecimentos sobre o tema em artigos científicos, pesquisas e noticiários. Além de contar com reuniões, para discutir o tema e questionar as minhas percepções, os professores também nos ajudaram oferecendo orientações sobre possíveis aprimoramentos. Ter participado deste concurso ampliou a minha visão em relação ao tema extremamente relevante, principalmente para nós estudantes que estamos desenvolvendo nosso pensamento crítico, ao incentivar o debate, a empatia e a escrita como ferramenta de transformação, contribuindo para o desenvolvimento do aluno como um indivíduo consciente. Eu pude aprender sobre assuntos que levarei para toda a minha vida, e ter recebido esse reconhecimento me encorajou ainda mais a continuar escrevendo e expressando minhas ideias. Recomendo a todos os alunos que participem, pois é uma experiência valiosíssima”, reconheceu a aluna Eduarda.

“O projeto Oficina de Textos foi uma das melhores experiências que eu já tive. É difícil mensurar o quanto eu evoluí não só como redatora ou estudante, mas também como cidadã ao estudar sobre cada problema social proposto nos temas”, declarou a aluna Priscila Hurtado e ainda deixa um recado aos estudantes “invistam na leitura e escrita. Essas duas técnicas podem nos levar a lugares extraordinários. O IFRO, com certeza, junto com o projeto, elevou meu nível como pessoa de maneira extraordinária também. Incrementou até meu currículo, pois me ajudou numa entrevista de emprego e tudo mais. Eu sou extremamente grata aos professores e aos alunos que fizeram esse projeto possível. E eu espero que ele continue por muito mais tempo para outros estudantes descubram o poder de uma redação nota 1000”, finalizou.


 
Sempre gostei muito de escrever, porém nunca tive a chance de aprimorar minha escrita. Graças ao projeto Oficina de Textos, desenvolvido pelos professores Moisés e Melissa, do IFRO Campus Colorado do Oeste, pude aprimorar meu modo de escrever. Em uma das redações do projeto o tema proposto foi o mesmo do concurso da DPU, afim de incentivar os alunos a participarem. Então, através de pesquisas e com o auxílio dos professores fui desenvolvendo minha redação. Pouco tempo depois os professores me chamaram para participar do concurso e eu acabei aceitando. Vale ressaltar a relevância do assunto proposto para sociedade, trazendo para o nosso convívio uma realidade dura e que muitas vezes não lhe é dada a devida importância. Saber como é difícil a vida dos moradores de rua traz para nós um grande ensinamento: dar valor ao que nós temos, mesmo que seja pouco. Enfim, o tema proposto é bem forte e faz com que nós possamos refletir sobre a realidade em que vivemos. Contudo, fico muito feliz por ter conseguido ficar entre os premiados no concurso e agradeço aos professores que criaram o projeto e incentivaram a participação dos alunos no concurso. A vocês o meu muito obrigado! afirmou Uender

O Projeto Oficina de Textos, realizado pelo IFRO-Campus Colorado do Oeste, conta com professores de várias áreas do conhecimento: professor William, de Sociologia, Prof. Marcel, de Geografia; Professor Glauber e professora Viviane, ambos de Educação Física; professora Fabiana, Engenheira Agrônoma; professor Joacir, de Gestão Ambiental, além dos professores de Língua Portuguesa do campus, Moisés e Melissa. Essa gama de profissionais de várias áreas diferentes possibilita discutir os temas dos textos de forma mais aprofundada, o que favorece a aprendizagem e a escrita do aluno.  
Os ganhadores, além de todo o reconhecimento pelo êxito alcançado, receberão como videogame Sony Playstation 4, Smartphone e tablet, respectivamente. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

37.5%
4.5%
5.7%
11.4%
40.9%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp