04/09/2021 às 10h01min - Atualizada em 04/09/2021 às 10h01min

Setembro Dourado: saiba como identificar os sinais do câncer infantil

Conheça a importância do diagnóstico precoce para o sucesso do tratamento

Gazeta Rondônia
Assessoria

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, de Belém (PA), preparou uma série de atividades para alertar a sociedade acerca da prevenção do câncer infantojuvenil. A iniciativa integra a Campanha “Setembro Dourado”, que coloca em relevância a importância do diagnóstico precoce e o tratamento prévio como fatores para a cura.

Nesta quarta-feira, 1º de setembro, foi dado o pontapé com a distribuição de laços dourados a profissionais e usuários dos serviços do Oncológico Infantil, um dos hospitais que integra a rede de saúde pública do Pará, gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde.

A campanha "Setembro Dourado" é um movimento nacional voltado à conscientização da população para o câncer infantojuvenil. Foi criada pela Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer - Coniacc. 

Durante o mês de setembro serão desenvolvidas, pela área de Humanização do Oncológico Infantil, atividades socioeducativas como blitz educativas em semáforos no entorno do hospital, roda de conversa com médica especializada em oncopediatria e realizações de caravanas para doação de sangue e cadastro de medula óssea.

Cezar Valente Teixeira, empresário, de 47 anos, morador do bairro Castanheira, em Belém, pai de Natan Teixeira, de 6 anos, que faz tratamento há 2 anos contra uma leucemia, ficou bastante curioso com a entrega dos laços feitos com o uso de fita dourada.

“Esse trabalho de orientação é importantíssimo. Porque foi assim que aconteceu conosco, em duas semanas eu pude perceber que ele não estava bem e levei ele logo ao médico e os exames diagnosticaram”, disse.

“Os pais precisam ficar atentos à saúde dos seus filhos. Temos que dar atenção especial, não podemos ignorar nenhum sinal”, concluiu Cezar.

Dados divulgados pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA) revelaram que a estimativa no ano de 2020 das taxas brutas de incidência de câncer por 1 milhão de crianças e adolescentes foram de mais de 8.400 novos casos diagnosticados.

A médica e mestre em cancerologia pediátrica que atua na área ambulatorial do Hospital Oncológico Infantil, Alayde Vieira, destaca a importância da campanha. “Infelizmente, o câncer infantojuvenil tornou-se a principal causa de óbito em crianças e jovens de 1 a 19 anos de idade. Essa situação passou a ser uma questão de saúde pública”, disse a médica. 

A oncopediatra Alayde Vieira chama a atenção para o fato de que o câncer em adultos está relacionado ao envelhecimento, ao consumo de cigarro e bebidas alcoólicas, entre outros riscos de exposição. No entanto, o câncer infantojuvenil não possui relação com fatores ambientais e de estilo de vida. Por esse motivo, destacamos a importância do diagnóstico precoce para o sucesso do tratamento”, enfatiza a oncopediatra.

A médica alerta, ainda, ser “importante que pais, cuidadores ou professores, pessoas que estão mais tempo com as crianças, fiquem atentos a sinais e sintomas mais frequentes associados”.

Conheça os principais sinais e sintomas de alerta para o câncer infantojuvenil:

- Crescimento do olho, podendo estar acompanhado de mancha roxa no local;

- Perda de peso considerável e sem justificativa;

- Manchas roxas pelo corpo, sem ter se machucado;

- Febre prolongada e causa não identificada;

- Vômito acompanhado de dor de cabeça, tontura e diminuição da visão;

- Caroço em qualquer parte do corpo, em especial na barriga, pescoço e virilha;

- Palidez, cansaço e indisposição;

- Dores nos ossos e nas juntas, com ou sem inchaço.


O surgimento desses sintomas deve ser investigado imediatamente. É importante procurar um médico na Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua casa.

Referência no tratamento de câncer infantojuvenil

O Oncológico Infantil Octávio Lobo é uma unidade de referência na Região Norte e, atualmente, atende crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, de municípios do Pará e Amapá. Em média, a unidade atende cerca de mil pacientes por mês, entre consultas, atendimentos ambulatoriais, exames e cirurgias.

O hospital possui 79 leitos de enfermarias, 10 de Unidade de Terapia Intensiva e oferece serviços multiprofissionais como oncologia pediátrica, cirurgia pediátrica, infectologia, ortopedia, neurocirurgia, nefropediatria, terapia intensiva, cardiologia, cuidados paliativos, psicologia clínica, serviço social, dentre outros.


Texto e fotos: Assessoria.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

35.1%
5.2%
8.0%
8.6%
43.1%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp