10/01/2021 às 10h15min - Atualizada em 10/01/2021 às 10h15min

Congresso dos EUA certifica vitória de Joe Biden

Gazeta Rondônia
O Congresso dos Estados Unidos certificou, na manhã desta 5ª feira (7), a vitória do presidente eleito Joe Biden na disputa com o presidente Donald Trump no Colégio Eleitoral.

Normalmente, a certificação é um processo cerimonial. Mas, depois de não conseguir derrubar a vitória de Joe Biden na Justiça, o presidente Donald Trump encorajou seus partidários na Câmara e no Senado a contrariarem a escolha dos eleitores nos Estados. Isso levou a horas de debate e a um processo de votação em ambas as câmaras.
 
As objeções de alguns congressistas republicanos para derrubar o resultado do voto popular no Arizona e na Pensilvânia foram rejeitadas, e a sessão confirmou os 306 votos de Biden contra 232 de Trump.
Joe Biden tomará posse como 46º presidente dos Estados Unidos no dia 20 de janeiro de 2021.

A sessão de certificação havia sido interrompida na 4ª feira (6), quando manifestantes pró-Trump invadiram o Capitólio dos EUA.

A INVASÃO

O presidente Donald Trump vinha incitando há dias, por meio das redes sociais, “um protesto selvagem”. Ele pediu que os manifestantes se dirigissem ao Capitólio para pressionar os congressistas a reverterem o resultado das eleições.

Na 4ª feira (6), seus seguidores interromperam a sessão de certificação da vitória de Joe Biden e invadiram o prédio por volta das 14h30 do horário local (16h30 em Brasília), até que as autoridades conseguiram despejá-los, mais de 3 horas depois.

Durante o ataque, o vice-presidente, Mike Pence, que presidia a sessão, teve que ser retirado do prédio e protegido. Sua recusa em cumprir a ordem de Trump para mudar o resultado das eleições fez dele um dos inimigos dos extremistas.

Em um vídeo postado nas redes sociais, é possível ver manifestantes que avançam sobre barreiras policiais.

Uma mulher foi baleada e não resistiu aos ferimentos. Outras 3 pessoas morreram por “urgências médicas”, segundo informou o chefe da Polícia Metropolitana de Washington, Robert Contee, que não detalhou a causa das mortes. Ao menos 14 policiais ficaram feridos.

A 5ª morte foi confirmada na noite dessa 5ª feira (7) e uma pessoa ainda está em estado grave.

Depois do episódio, deputados democratas do Comitê Judiciário da Câmara dos Estados Unidos enviaram uma carta ao vice-presidente Mike Pence pedindo que ele invoque a 25ª Emenda da Constituição dos EUA.

A medida removeria Donald Trump do cargo de presidente dos Estados Unidos.

Na noite de 4ª feira (6), o Facebook e o Instagram suspenderam a conta de Trump, que chegou a pedir para os manifestantes deixarem o local. “Vão para casa“, disse.

Líderes e a imprensa do mundo inteiro reagiram ao episódio. Na madrugada de 5ª feira (7), o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama publicou uma declaração em sua conta no Twitter.  Ele disse que a violência foi resultado das “mentiras” de Donald Trump.

A história lembrará a violência que ocorreu no Capitólio, incitada por um presidente que continuou a mentir sem fundamento sobre o resultado de uma eleição legítima, como um momento de grande desonra e vergonha para nossa nação”, afirmou. (Poder 360).
 

Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp