29/09/2021 às 14h56min - Atualizada em 29/09/2021 às 14h56min

Perícia aponta que incêndio em parque foi causado por descarga elétrica de um raio

Gazeta Rondônia

A perícia realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso constatou que o incêndio que durou cerca de 20 dias no Parque Estadual Encontro das Águas, em Porto Jofre, no Pantanal, foi causado por uma descarga elétrica de um raio que atingiu uma árvore e se alastrou pela vegetação seca no campo, se transformando em um incêndio de grandes proporções.

S.OS. Pantanal e Corpo de Bombeiros combatem incêndio no Parque Encontro das Águas — Foto: Gustavo Figueiroa

S.OS. Pantanal e Corpo de Bombeiros combatem incêndio no Parque Encontro das Águas — Foto: Gustavo Figueiroa

Os focos dentro da unidade de conservação ambiental começaram no dia 3 setembro. Após 20 dias, equipes de bombeiros, brigadistas e voluntários conseguiram, parcialmente, controlar o incêndio que estava queimando a vegetação no local.

Os trabalhos de perícia foram executados por dois bombeiros peritos de incêndio florestal do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA).

Segundo o relatório de perícia, no ponto chave da investigação foi encontrado uma grande árvore com aproximadamente 3 metros de altura partida no chão

Foram analisadas, ainda, partes do tronco que também apresentaram elementos danosos ocasionados pela descarga elétrica atmosférica, com ponto de entrada e saída do raio, um fenômeno natural.

Incêndio no Parque Encontro das Águas (MT) é parcialmente controlado após 20 dias — Foto: Assessoria

Incêndio no Parque Encontro das Águas (MT) é parcialmente controlado após 20 dias — Foto: Assessoria

Outro fator detectado pelos especialistas, que sustenta ainda mais o fator de causa natural, foi a medição da longitude.

O local de registro do primeiro foco de calor detectado pelo satélite estava perto da árvore, uma distância de apenas 349 metros.

Parque Encontro das Águas foi destruído pelo fogo em MT — Foto: CBM/MT

Parque Encontro das Águas foi destruído pelo fogo em MT — Foto: CBM/MT

Além disso, moradores relataram que no dia do acontecimento o céu apresentava características de chuva, carregado de nuvens, trovejadas com sonoridade ambiente de descarga elétrica, por volta da meia noite, conforme descrito no laudo pericial.

Registros meteorológicos mostraram que no dia de início do fogo a velocidade do vento era de 3 km por hora, em direção nordeste, com variação de elevação para 10 km na direção norte, além da temperatura com mínima de 20°C e máxima de 38°C, umidade relativa do ar entre 10% e 60%, cenário propicio de propagação para incêndio.

Com a reunião de todos esses elementos e demais coordenadas técnicas, os peritos concluíram que o fator causa do incêndio foi descarga do raio, sendo o motivo de origem do fogo fenômeno natural.

 

Controle e combate ao incêndio

 

Cerca de 68.820 litros d'água foram lançados no ponto de fogo, além da atuação das equipes em solo que atuaram para apagar as chamas com uso de outros equipamentos de combate, como abafadores, sopradores e mochilas costais no trabalho de 24 horas por dia.

O monitoramento via satélite mostra que o fogo consumiu uma área de 5.725 hectares dentro do parque. Fora da unidade, o incêndio queimou 3.775 hectares de vegetação, sendo o total de área 9,5 mil hectares.

Incêndio em Parque Encontro das Águas em MT — Foto: CBM/MT

Incêndio em Parque Encontro das Águas em MT — Foto: CBM/MT

O Parque Estadual Encontro das Águas está delimitado em uma área de 108 mil hectares, um ponto explorado pelos turistas para a observação de onça-pintada. Fonte: G1


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

35.1%
4.9%
8.1%
8.6%
43.2%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp