11/11/2021 às 21h37min - Atualizada em 11/11/2021 às 21h37min

Crianças em tratamento contra o câncer aprendem sobre educação nutricional e meio ambiente

Gazeta Rondônia
Assessoria
As atividades manuais ajudam no tratamento dos pacientes. Foto: Comunicação Pró-Saúde.

Crianças e adolescentes que frequentam as aulas da Classe Hospitalar Prof. Roberto França, do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, estão recebendo conteúdos sobre educação nutricional. A iniciativa começou a ser executada na primeira semana de novembro, por meio do Projeto “Nutrindo o Saber”, desenvolvido pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND) da unidade.
 
O projeto acontece em parceria com o Escritório de Experiência do Paciente (EPP) e o Núcleo de Educação Permanente do hospital. Além de garantir o envolvimento entre crianças e adolescentes desde a semeadura dos vegetais até a colheita, ajuda no desenvolvimento do senso crítico na hora de selecionar os alimentos para o consumo.
 
Nesta quarta-feira, 10, aconteceu o plantio de sementes de hortaliças na horta hospitalar que leva o nome de “Cantinho Verde”. As atividades extraclasse possibilitam o desenvolvimento de trabalho prático na horta, cujo espaço está em processo de ampliação.
 
Todas as etapas contam com a participação dos estudantes, como por exemplo, a oficina de pintura de vasos de barro, que também foca no reaproveitamento de materiais recicláveis para a confecção de outros tipos de recipientes, produzidos artesanalmente com a reutilização de garrafas pets, potes de margarinas, caixotes, entre outros.
 
Já nesta sexta-feira, 12, as crianças participam de uma dinâmica por meio de um jogo educativo em que elas fazem suas escolhas por tipos de alimentos preferidos. Nesta ação haverá a participação da equipe da Coordenação Estadual de Nutrição da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa), por meio do Projeto “Práticas de Educação em Saúde Alimentar e Nutricional", cuja finalidade é realizar atividades práticas de educação alimentar e nutricional com pacientes em tratamento de câncer.
 
O paciente Lucas Daniel Carvalho, de 13 anos de idade, é morador do Bairro Mangueirão, em Belém, e cursa o 7º ano. O jovem, que há dois anos iniciou seu tratamento contra uma leucemia em outro hospital, já está fora de terapia e realiza apenas acompanhamento ambulatorial com oncologista pediátrico na unidade.
 
O adolescente foi um dos alunos que participou da oficina de pintura dos vasos e comentou sobre a experiência. “Me senti inspirado pela aula da professora Micheline, de Geografia e Estudos Amazônicos, por isso pintei no vaso um desenho da Floresta Amazônica. As queimadas não podem continuar, a floresta precisa ser preservada”, disse o jovem estudante.



O Oncológico Infantil, referência no Norte do Brasil no tratamento oncológico de crianças e jovens de 0 a 19 anos, é gerenciado desde a sua inauguração, em 2015, pela entidade filantrópica Pró-Saúde, por meio de contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa).
 
A coordenadora do SND do Oncológico Infantil, Renata Porto, explica que a ideia, além de despertar para a importância da boa alimentação, busca fazer com que as crianças entendam o conceito de sustentabilidade e estimular o cuidado com o meio ambiente. “Essa ação é um modo de ampliar o processo educativo. Queremos despertar nas crianças e nos adolescentes a importância do saber nutricional, e que isso pode fazer uma diferença na vida deles”, afirmou.
 
A pedagoga Elizabeth Cabeça, que integra a equipe do Escritório de Experiência do Paciente, explica a finalidade da atividade pedagógica nas oficinas. “Proporcionar um momento de vivência fora da rotina da sala de aula contribui para o estímulo de habilidades, por meio do manejo com a terra e cuidado com o meio ambiente. Os trabalhos manuais são experiências fundamentais para ajudar no tratamento do paciente”, observou.

Texto e Foto: Comunicação Pró-Saúde.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp