08/10/2022 às 16h41min - Atualizada em 08/10/2022 às 16h41min

Operação é realizada em Rondônia para desarticular organização criminosa que ocupa e explora terras públicas

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

A 7ª fase da Operação Canaã foi realizada nesta quinta-feira (6) em Rondônia com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atua com a ocupação, comércio e exploração ilegal de recursos naturais no Parque Estadual Guajará-Mirim e na área denominada "bico do parque", situada na zona de amortecimento da unidade de conservação.

Esta fase, chamada de Anomia, foi realizada pelo Ministério Público de Rondônia (MP-RO) em conjunto com a Polícia Civil. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão e apreendidos celulares e documentos que serão periciados.

A Promotora de Justiça de Guajará-Mirim, Naiara Ames De Castro Lazzari, afirma que a ação também é uma forma de frear condutas violentas praticadas pelo grupo, considerado de alta periculosidade, que realizava ataques armados contra servidores das forças de segurança pública e órgãos de fiscalização ambiental.

Segundo o MP-RO, as investigações apontam que após as invasões na área de preservação, a liderança do grupo criminoso fazia a venda dos lotes por meio de um advogado, que também trabalhava para manter os invasores no local.

Com as ocupações ilegais, foi percebido um severo desmatamento no local. De acordo com a coordenação do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema), a extensão dos danos em área desmatada chega a 2.347 hectares, com valor calculado em R$ 86 milhões. Fonte: G1

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »