19/11/2022 às 00h25min - Atualizada em 19/11/2022 às 00h25min

Servidora pública faz alerta após quase cair no golpe do Pix para “falsa filha” em Cerejeiras

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

Uma servidora pública, que não será identificada, moradora do município de Cerejeiras (RO), quase foi vítima de um golpe aplicado por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, onde o criminoso se passa por um familiar e pede dinheiro emprestado ou pagamento de boletos.

MODUS OPERANDI


Segundo a servidora, o criminoso manteve contato por meio de mensagem de WhatsApp de um número desconhecido, mas com a foto de perfil de uma de suas filhas, alegando que o telefone dela estava no conserto e que estaria usando um novo número temporariamente. Durante a troca de mensagens foi solicitado uma transferência bancária via Pix no valor de R$ 1.920,72 e justificando que estava com problema do cartão de sua conta e que no outro dia já devolveria o montante pedido.
 
A vítima da tentativa de golpe esclareceu que, em nem um momento desconfiou que se tratava de um golpe, pois a pessoa conhecia sua rotina e também de sua filha que é casada e mora a poucas quadras de sua casa.

 
“Até o jeito de escrever era da minha filha, com as mesmas grafias e abreviações, momento nenhum desconfiei que fosse golpe, sai de casa em direção a casa lotérica para fazer a transferência bancária no caixa, uma vez que não uso a ferramenta Pix, tive um momento de lucidez e passei no trabalhado da minha filha antes de realizar o depósito e para minha surpresa não era ela que tinha me pedido o dinheiro e sim um golpista”. Alertou.
 
Após os fatos esclarecidos a servidora pública foi até a delegacia para registrar a ocorrência policial informando o número de telefone usado e o CPF da chave Pix favorecida.
 
Segundo o delegado titular da delegacia de polícia civil de Cerejeiras, Mayckon Douglas Pereira, diariamente são registradas diversas ocorrências de vítimas de estelionato.

 
“Os golpistas estão se atualizando diariamente e se modernizando em razão do uso da tecnologia e das redes sociais, as pessoas fazem as transferências ou depósitos no impulso e na confiança que realmente seja um familiar necessitando, todo cuidado é pouco, certifique-se de quem é a conta bancária e analise todas as informações possíveis para não se tornar mais uma vítima de golpe”. Alertou o delegado.

Fonte: Gazeta Rondônia.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »