24/11/2022 às 11h43min - Atualizada em 24/11/2022 às 11h43min

CMDCA de Castanheiras, Nova Brasilândia do Oeste e Novo Horizonte do Oeste realizam a 1ª conferência integrada de direitos da criança e do adolescente nesta sexta-feira, 25

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente dos municíos de Castanheiras, Novo Horizonte do Oeste e Nova Brasilândia do Oeste - CMDCA, em conjunto com as Secretarias Municipais de Assistência Social, convidam toda a sociedade para participar da 1ª Conferência Integrada dos Direitos da Criança e do Adolescente, com a finalidade de analisar, definir e deliberar as ações e diretrizes das Políticas Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente com vistas à construção de propostas voltadas para a afirmação do princípio da proteção integral e reparação dos danos causados pela pandemia da Covid-19 em suas vidas e restituição dos direitos pós-pandemia nas políticas públicas.

A 1ª Conferência Integrada dos Direitos da Criança e do Adolescente será realizada no município de Nova Brasilândia do Oeste, no dia 25 de novembro de 2022, na Câmara Municipal, com início as 07h30min. A realização da 1ª Conferência integrada dos Direitos da Criança e do Adolescente, cumpre as disposições da Resolução do CONANDA nº 227/2022 e da Resolução do CONEDCA nº 006/2022.


O evento terá como tema central: “Situação dos direitos humanos de Crianças e Adolescentes em Tempos de Pandemia de Covid-19: violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral, com respeito à diversidade” com palestra ministrada por Marcia Tesser.
 
A representante do Conedca e uma das palestrantes no evento Marcia Cristina Tesser, falou da importância do evento.
 
"Esse período conferências é de extrema importância para debater e pensar juntamente com crianças e adolescentes medidas para reduzir os danos causados pela Covid-19", esclareceu Marcia Tesser.

As políticas públicas voltadas para o público infanto-juvenil precisam ser preservadas e adequadas ao momento atual e planejadas para o futuro próximo.
 
“Para executarmos projetos adequados às crianças e adolescentes, é fundamental a participação social da comunidade nas conferências. Assim, poderemos deliberar ações que serão executadas nos próximos anos para reduzir o impacto do COVID-19 nos direitos das crianças e adolescentes." Destacou Aurindo de Almeida, presidente do CMDCA de Nova Brasilândia.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »