Gazeta Rondônia Publicidade 728x90
12/02/2023 às 12h31min - Atualizada em 12/02/2023 às 12h31min

VÍDEO: Bolsonaro volta a questionar resultado das urnas durante evento em igreja evangélica nos Estados Unidos

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

Nos Estados Unidos, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a levantar dúvidas sobre os resultados das eleições brasileiras. Em um discurso para evangélicos neste sábado (11), ele fez uma fala questionando o motivo de receber apoio “em qualquer lugar do mundo”, mas ter perdido a disputa presidencial para Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
 
“É uma satisfação muito grande a forma com que vocês me trataram em qualquer lugar desse mundo. Isso não tem preço. Ainda mais para quem, pelo menos diante do TSE, não conseguiu ser reeleito”, afirmou Bolsonaro.

O discurso foi feito durante palestra em uma igreja evangélica no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Mesmo criticando o processo eleitoral brasileiro, ele ainda disse que tem uma “missão” que ainda não acabou, fazendo referência a uma possível nova disputa política no futuro.
 
“Não interessa o que vier a acontecer comigo aqui ou no Brasil. E da forma como, porventura, algo acontecer”, levantou.

O site do evento descreve a palestra como um “grande encontro da comunidade brasileira do Sul da Flórida” com a presença de Jair Bolsonaro.

O encontro foi realizado em uma unidade da Church Of All Nations (Igreja de Todas as Nações, em tradução livre), é organizado pelo grupo Yes Brazil, que se diz formado por cristãos de direita.

O ex-presidente está no exterior desde o fim de dezembro, véspera da posse de Lula. Ele utilizou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar a Orlando.

Bolsonaro entrou no país como portador de visto diplomático. De acordo com as regras dos EUA, o documento expirou em 31 de janeiro, um mês após Bolsonaro deixar a Presidência da República.

Próximo ao término do prazo, Bolsonaro solicitou ao governo dos Estados Unidos um novo visto de visitante para permanecer no país. Se aceito, o ex-mandatário poderá permanecer nos EUA por mais seis meses. A informação é do jornal Financial Times.

Confira o vídeo no Twitter.

 


Fonte: Metrópoles.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »