Gazeta Rondônia Publicidade 728x90
16/02/2023 às 12h08min - Atualizada em 16/02/2023 às 12h08min

Mulher suspeita de integrar 'tribunal do crime' presa em Cerejeiras é condenada a mais de 20 anos de prisão

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

Outros quatro réus suspeitos de envolvimento na morte de Rubem Ariel Silva Souza foram condenados esta semana pela Justiça de Rondônia. A vítima foi torturada e decapitada, em 2020, por ter sido confundida com um integrante de uma facção criminosa.

O jovem foi atraído até pelo criminosos até uma área do residencial Morar Melhor, em Porto Velho, sob a falsa proposta de um encontro amoroso. Toda sua tortura e execução foi filmada e divulgada em redes sociais. Segundo o Ministério Público de Rondônia (MP-RO), a vítima não tinha qualquer histórico de violência.

Em novembro de 2022, sete acusados de participar do crime foram condenados, com penas que variam de 2 a 21 anos de reclusão em regime fechado. Esta semana, o Tribunal do Júri condenou outras quatro pessoas.

Os réus são dois homens e duas mulheres: Evandro Pereira da Silva Júnior, Ítalo Cairi Monteiro, Virgilane dos Santos da Silva e Izabel dos Santos da Silva. A Justiça negou aos condenados o direito de recorrerem em liberdade.

Veja os crimes e a pena atribuída a cada um dos novos condenados:

Evandro Pereira da Silva Júnior

 

  • Foi condenado por homicídio qualificado, praticado por motivo torpe e meio que dificultou a defesa da vítima. Também vai responder por tortura e corrupção de menores;
  • A pena foi fixada em 24 anos e um mês de reclusão.

 

Ítalo Cairi Monteiro

 

  • Foi condenado por homicídio qualificado, praticado por motivo torpe e meio que dificultou a defesa da vítima. Também vai responder por tortura, vilipêndio ao cadáver e corrupção de menores;
  • A pena foi fixada em 20 anos e quatro meses de reclusão mais um ano e quatro meses de detenção e 16 dias-multa.

 

Virgilane dos Santos da Silva

 

  • Vai responder por homicídio qualificado, praticado por motivo torpe e por meio que dificultou a defesa da vítima. As penas também correspondem aos crimes de tortura e corrupção de menores;
  • Recebeu a pena de 21 anos e 8 meses de reclusão.


Izabel dos Santos da Silva

 

  • Vai responder por homicídio qualificado, praticado por motivo torpe e por meio que dificultou a defesa da vítima. As penas também correspondem aos crimes de tortura e corrupção de menores;
  • Recebeu a pena de 21 anos e 8 meses de reclusão.

Fonte: G1
  •  

 

 

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »