29/12/2020 às 16h38min - Atualizada em 29/12/2020 às 16h38min

IFRO completa 12 anos neste dia 29 de dezembro de 2020

Gazeta Rondônia
O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO) chega aos seus 12 anos de criação no dia 29 de dezembro de 2020. O aniversário está contido na finalização de um ano desafiador. Um ano em que o IFRO contou muito com a compreensão e o empenho de seus servidores e de seus alunos para superar os desafios impostos pela necessidade de proteção de vidas diante do distanciamento social causado pela pandemia.
 
Na avaliação do Reitor do IFRO, Uberlando Tiburtino Leite, “estávamos com nosso planejamento pronto, iniciado, mas fomos pegos de surpresa com essa pandemia que nos trouxe medo, insegurança, necessidade de replanejamento e, mais ainda, a necessidade de garantir a segurança de preservar a vida dos nossos alunos e servidores. Tivemos de nos recolher, mas o IFRO não parou. Todos os nossos servidores, técnicos e docentes, e alunos se reorganizaram. Novos sistemas foram desenvolvidos ou aperfeiçoados os atuais, de modo que o IFRO continuou com a oferta das atividades de ensino, pesquisa e de extensão”.
 
Há 12 anos foi publicada a lei que instituiu a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, criando os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Com a Lei 11.892, de 29/12/2008, foram criados 38 Institutos Federais em todo o Brasil. Atualmente são mais de 660 unidades/campi, além de Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), 22 escolas técnicas vinculadas às universidades federais e o Colégio Pedro II.
 
Em Rondônia, o IFRO possui dez campi, mais a reitoria e os polos de educação a distância. Estrutura que se manteve ativa durante todo o ano de 2020. “A oferta de mais de 17 mil novas vagas, com a qualificação neste momento de mais de dez mil profissionais colocados à disposição de nossa sociedade. Além disso, o IFRO desenvolveu, em todas as suas unidades, projetos que contribuíram para o enfrentamento da covid-19 pela nossa população. Todas essas conquistas em plena pandemia só foram possíveis graças à colaboração dos parceiros, mas acima de tudo, graças ao compromisso e a dedicação de vocês, servidores e estudantes, por isso quero agradecer a cada um e a cada uma”, reforça o Reitor Uberlando.
 
Para o Diretor-Geral do Campus Porto Velho Calama, Leonardo Leocádio, “o modelo dos Institutos Federais que foi concebido pelo Governo Federal é um modelo que dá certo. Tenho muito orgulho de fazer parte desta história. Seja hoje como professor, ou como egresso. A formação dos nossos alunos é completa, baseada nos nossos três pilares: Ensino, Pesquisa e Extensão. Além da formação cidadã, nosso aluno sai da instituição com um olhar crítico sobre o mundo”.
 
Pilares
 
“Como em uma instituição que possui campi em consolidação e outros em implantação, lidar com diferentes cenários e públicos faz parte do cotidiano do IFRO em 12 anos desde a sua lei de criação. Em 2020, somou-se a essa realidade o trabalho e a entrega institucional em período de pandemia da covid-19, em que houve a necessidade desafiadora de alterar o nosso Plano Anual de Trabalho, para manter, com segurança, as atividades básicas dos projetos de pesquisa e de inovação e as aulas remotas da pós-graduação”, demonstra o Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação (Propesp/IFRO), Gilmar Alves Lima Júnior.
 
Das ações que a Propesp destaca estão a publicação de editais de Primeiros Projetos, de Pesquisa na Pós-graduação e de Renovação de Projetos de Pesquisa. Além dessa inovação institucional, o IFRO ainda teve a conclusão da turma de Especialização em Gestão Pública, com mais de 1.800 alunos certificados na pós-graduação, além do da Especialização em Educação Profissional e Tecnológica. “Quanto à pós-graduação Stricto Sensu, iniciamos o Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação e tivemos os primeiros mestres formados pelo IFRO no Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica”, destaca o Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. 
 
Gilmar evidencia ainda que “[...] Na busca de qualificação e capacitação para nossos servidores, as defesas de tese de doutorado dos servidores no Dinter em Agronomia (IFRO/Unesp Ilha Solteira), no Dinter em Educação (IFRO/Unesp Marília) e o início do Dinter em Administração (IFRO/UFPR) foram destaques. Portanto, em 2020, o IFRO tem muitos resultados que somam e engrandecem os 12 anos da nossa instituição para o estado de Rondônia”.

No ensino, Edslei Rodrigues de Almeida (Pró-Reitor de Ensino/Proen/IFRO), fala que “[...] a consolidação do IFRO foi colocada à prova neste ano de 2020. Um ano difícil no cenário mundial, devido à pandemia causada pela covid-19, mas, no âmbito do ensino, não paramos um dia, continuamos ofertando o ensino público, de qualidade e inclusivo, pegando na mão de todos, o que proporcionou condições para que pudéssemos caminhar até o presente momento. A caminhada não foi fácil, tivemos perdas, momentos de tristeza para nós servidores, alunos e seus familiares, mas, esta instituição mostrou que é forte e tem motivos para comemorar estes 12 anos de existência! Parabéns a toda comunidade interna e externa que faz o dia a dia desta instituição amada por todos nós”.

Edslei relembra que além dos 12 anos, comemorados agora, no dia 23 de setembro de 2020, a Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica, completou 114 anos. Neste cenário amplo, o Pró-Reitor verifica as contribuições do Instituto. “O IFRO, que ao longo desses anos vem transformando o cenário da educação no estado, contribui com o desenvolvimento da ciência, da cultura e da tecnologia, cumprindo com os seus objetivos e finalidades conforme preconiza a lei de sua criação”.

Percurso
 
A Diretora-Geral do Campus Ji-Paraná, Letícia Pivetta, esteve entre as aprovadas do concurso de 2008, que foi um dos primeiros a começar a dar andamento ao IFRO em outros municípios do estado. “Lembro-me que em 2008 prestei o concurso público para o que seria a Escola Técnica Federal de Rondônia (Cefet) – Unidade de Ensino Descentralizada de Ji-Paraná. No período de tramitação do concurso (dezembro/2008), o Governo Federal criou a rede de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e, assim, minha posse já foi no recém-criado Instituto Federal de Rondônia (IFRO), Campus Ji-Paraná. Comigo, 26 professores assumiram as vagas para lecionar nos Cursos Técnicos em Informática e em Florestas Integrados ao Ensino Médio e nos Cursos Subsequentes em Informática, Florestas e Móveis. Também ingressaram no Campus Ji-Paraná 23 técnicos administrativos”.
 
A Professora Letícia completa dizendo: “Passaram-se 12 anos do nosso IFRO, ele já não é mais criança, está na adolescência, ainda descobrindo seus potenciais e se autoafirmando, mas já tem muita história para contar. Hoje são 10 campi e a reitoria, além de polos EaD em todas as cidades de Rondônia, que é um dos estados do nosso país com maior crescimento econômico, além de pujante e belo. Pessoas capacitadas são necessárias para que este crescimento econômico seja sustentável, competitivo e revertido em benefícios à população, daí a missão do IFRO em contribuir para o desenvolvimento da sociedade por meio da educação. Contamos com um corpo de servidores altamente capacitados, de especialistas, mestres e doutores, em constante capacitação, além de uma infraestrutura privilegiada, para que os filhos deste estado possam ter acesso a conhecimentos científicos e práticas profissionais, sem precisar deixar seus lares, frequentando cursos nas mais distintas áreas, desde o nível médio até o mestrado”.
 
O Diretor-Geral do Campus Colorado do Oeste, Marcos Aurélio Anequine de Macedo, também parabeniza relembrando a história do IFRO: “Temos muito orgulho de fazer parte do IFRO desde o início de sua história. Em 2008, o agora campus era a Escola Agrotécnica Federal de Colorado do Oeste, já com 15 anos, e junto com a Escola Técnica Federal de Rondônia integrou o novo Instituto Federal de Rondônia. Ao longo destes 12 anos como parte do IFRO, o campus se desenvolveu ainda mais, buscando a excelência na educação, além da diversificação e da verticalização de nossos cursos. E essa história ainda está em andamento, pois sempre visamos melhorar cada vez mais a nossa instituição.”
 
Tecnologia e força humana
 
Para a Diretora-Geral do Campus Porto Velho Zona Norte, Ariádne Joseane Félix Quintela, “[...] chegamos em 2020 com muita resiliência e superação, sem dúvida. Para o Campus Porto Velho Zona Norte, que tem a Educação a Distância como uma referência na Rede IF, nos deixam lisonjeados e com a perspectiva de que temos que melhorar. Acreditamos que essa é a nossa maior contribuição para Instituto Federal de Rondônia e isso só é possível graças ao comprometimento, dedicação e trabalho dos servidores e servidoras da nossa unidade. Estamos felizes por esses doze anos de caminhada e almejamos que o décimo terceiro aniversário seja mais especial com o controle e a erradicação da covid-19”.

No Conesul do estado de Rondônia, o Diretor-Geral do Campus Vilhena, Aremilson Oliveira, avalia que “[...] comemoramos esses doze anos colhendo os frutos de toda dedicação e comprometimento dos alunos, servidores, funcionários e parceiros externos, pois são 12 anos de desafios e conquistas. Hoje a sociedade reconhece e contribui cada vez mais com a nossa missão institucional, e isso é motivo de uma grande satisfação para todos nós, principalmente em 2020, um ano tão atípico, em que não abaixamos a cabeça e enfrentamos os obstáculos impostos pela covid-19”. Fonte: Portal IFRO.

Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

36.6%
4.8%
7.3%
8.3%
43.0%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp