16/09/2021 às 20h55min - Atualizada em 16/09/2021 às 20h55min

Secretaria alerta sobre doença transmitida através do carrapato de capivaras após morte de criança

Gazeta Rondônia
 

A Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande informou em nota nesta quinta-feira (16) a importância do cuidado e prevenção à Febre Maculosa, doença transmitida através do carrapato presente em algumas capivaras.

Na nota, a secretaria da capital informou que o último caso confirmado da doença foi em 2018 e atualmente não existe nenhum caso notificado.

"O último caso confirmado foi na data de 2018, quando houveram 14 notificações. No ano seguinte, em 2019, foram 13 casos suspeitos e todos descartados. Em 2020 foram registradas somente quatro suspeitas, sem nenhuma confirmação e até o momento não há notificações em 2021", diz a nota.

Transmitida pela picada do carrapato-estrela, o parasita tem como hospedeiro principal a capivara, animal comum no estado. A febre maculosa pode causar inflamação do cérebro, paralisia e insuficiência respiratória ou renal, além de afetar órgãos como o coração, fígado, baço e pâncreas.

 

"A doença é transmitida por um carrapato normalmente mais presente em animais rurais e silvestres, desta forma, para prevenção da infecção, é importante evitar o contato com animais que estejam contaminados e locais com proliferação deste inseto. Para quem tem hábito de ir para zonas rurais, é importante a proteção utilizando-se de roupas compridas, cobrindo pernas e braços, evitando exposição e possíveis picadas de carrapatos contaminados", confirma a Secretaria de Saúde de Campo Grande.

 

Principais formas de prevenção:

 

Os principais sintomas da doença são: febre alta, mal estar generalizado, dores de cabeça e abdominais, náusea, vômito, diarreia e manchas avermelhadas pela pele. Possuindo cura, a doença precisa ser precocemente diagnosticada e tratada de forma apropriada.

 

  • Usar calças, botas e blusas com mangas compridas ao caminhar em áreas arborizadas e gramadas
  • Evitar andar em locais com grama ou vegetação alta
  • Usar repelentes
  • Em locais de risco, verificar a presença de carrapato no corpo do animal

Casos suspeitos

 

A notificação de casos suspeitos de Febre Maculosa deve ser realizada de forma imediata, a partir do momento da suspeição da doença.

Para notificação de casos suspeitos dentro do horário de expediente e demais informações sobre a Febre Maculosa e outras doenças provocadas por animais aos seres humanos, entrar em contato diretamente com o setor de Zoonoses. Fonte: G1


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

35.1%
4.9%
8.1%
8.6%
43.2%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp