23/11/2021 às 19h33min - Atualizada em 23/11/2021 às 19h33min

Mãe de mochileira conta que filha precisa saber da morte do namorado: 'Não posso mais adiar, ela precisa saber por mim'

Gazeta Rondônia

“Não podemos mais adiar, ela pergunta dele a todo momento, minha filha precisa saber por mim”, disse Angélica Santos Pereira, de 49 anos, mãe da mochileira Jennifer Santos, 19 anos, que segue internada na Santa Casa de Campo Grande, após o acidente de moto que sofreu com o namorado na terça-feira (16).

De acordo com a Angélica, Jennifer será informada nesta terça da morte de Tiago Escarcell Boher, 32 anos, que morreu na sexta-feira (19). A mãe da jovem disse que não pode mais adiar para dar a notícia, pois a filha pergunta o dia todo sobre o estado de saúde de Tiago.

“A minha preocupação é outra pessoa falar, eu tenho que dar essa notícia e abraçar minha filha. Sei que hoje o dia não será bom, não deixo ela entrar em nenhuma rede social com medo de ver a notícia, não sei como ela irá reagir”, disse.

Angélica relata que apesar de estar apreensiva em como Jennifer irá receber a notícia, acredita que a jovem precisa saber sobre o ocorrido para seguir com a sua vida. A mãe da mochileira conta que estará acompanhada de psicólogos para contar sobre a morte de Tiago.

Jennifer fez cirurgias, amputou dois dedos e uma parte do pé, colocou pinos na perna e bacia. Mas, segundo a mãe, sua maior preocupação é com o psicológico da jovem. "Como vai ser a vida dela daqui pra frente? Minha filha precisa ser muito forte", apontou.

Tiago e Jennifer estavam juntos há pouco mais de um ano e compartilhavam a vontade de conhecer o mundo.

 

Estado de saúde de Jennifer

Depois de ficar sete dias no CTI, Jennifer está em quarto da Santa Casa se restabelecendo  — Foto: Redes sociais/Reprodução

Depois de ficar sete dias no CTI, Jennifer está em quarto da Santa Casa se restabelecendo — Foto: Redes sociais/Reprodução

Após sete dias no Centro de Terapia Intensivo (CTI), Jennifer teve alta e está em um quarto da Santa Casa de Campo Grande (MS), após o acidente de moto que sofreu no dia 16 de novembro.

Angélica celebrou a melhora da filha e destacou estar ansiosa para o momento de poder retornar para Pelotas (RS) e virar esse capítulo de sua vida.

“Fiquei bem faceira quando soube que ela iria para o quarto, significa que ela vai melhorar e não tem risco de vida, mas sabemos que ela vai ficar um bom tempo internada, ainda assim não posso reclamar, minha filha vai sair dessa e vamos voltar para casa juntas”, relatou Angélica.

A jovem sofreu múltiplas fraturas pelo corpo e está em observação clínica, consciente, orientada e estável, de acordo com o último boletim médico divulgado pela Santa Casa de Campo Grande.

 

Como foi o acidente

Segundo o boletim de ocorrência, um motociclista de 63 anos, que estava em uma motocicleta de luxo, tentou ultrapassar um caminhão em local proibido e bateu de frente na moto do casal de mochileiros. Com a batida, Tiago e Jennifer foram arremessados para a margem da rodovia. O motociclista que causou o acidente foi atingido por uma carreta e morreu no local.

 

Comemoração horas antes do acidente

Horas antes do acidente, o casal publicou um vídeo nas redes sociais, soltando fogos de artifício para comemorar os 36 mil quilômetros percorridos em pouco mais de oito meses de viagem e a chegada ao destino final: Mato Grosso do Sul.

Horas antes de acidente, mochileiros comemoraram final de viagem com fogos

"Após oito meses e treze dias, se eu contasse, ninguém acreditaria, nós conseguimos! Estamos na beira da estrada, percorremos mais de 36 mil quilômetros. Não foi fácil, estamos cansados, mas realizamos um sonho! O Brasil é nosso, com a nossa moto rodamos o país inteiro, demos uma volta no país e vamos voltar para casa”, contou Tiago no vídeo que foi postado nas redes sociais.

“Concluímos os 27 estados [sic] , acabamos de chegar em Mato Grosso do Sul, demos a volta no Brasil! Acabamos de chegar e estamos cansados. Ontem dormimos só três horas, tá sendo uma história que está marcada. Nem sei o que dizer, bora viver!”, disse Tiago. Fonte: G1

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

35.2%
4.9%
8.2%
8.8%
42.9%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp