21/11/2022 às 23h19min - Atualizada em 21/11/2022 às 23h19min

Urnas eletrônicas retiradas de prédio não foram usadas nas eleições deste ano, esclarece TRE

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

A divulgação nas redes sociais de vídeos que mostram a retirada de urnas eletrônicas de um prédio em São Paulo tem gerado suspeitas entre apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL). Com a repercussão do caso, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) emitiu nota neste domingo (20) em que esclarece que deu continuidade ao trabalho de retirada de urnas eletrônicas obsoletas (modelo 2009), que não foram usadas nas eleições de 2022 e estavam armazenadas nas instalações do tribunal, no centro da capital paulista. 

O tribunal destaca ainda que o trabalho foi planejado para os dias 13, 20 e 27 de novembro. Segundo o órgão, foram recebidas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) 44.880 urnas modelo 2020 para as eleições deste ano.


Com isso, a Secretaria de Tecnologia da Informação da Corte decidiu recolher e encaminhar ao TSE 24.445 urnas eletrônicas modelo 2009, para que seja realizada a baixa patrimonial e o descarte. Estas urnas foram armazenadas temporariamente no prédio e, visando a liberação, ainda que parcial, do espaço do prédio, o tribunal antecipou a retirada de 10 mil urnas.

Ainda de acordo com o TRE-SP, o trabalho tem ocorrido aos domingos, mediante autorização da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), considerando que na região do prédio há restrição de circulação de caminhões durante os dias úteis. Ainda segundo o TRE-SP, cada urna tem um número de patrimônio, além de um número de série.

O tribunal destaca ainda que o descarte dessas urnas, que não foram utilizadas nestas eleições, somente foi possível em razão do recebimento pelo TRE de 44.880 urnas novas, modelo 2020. 

Fonte: R7.

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »