29/10/2021 às 09h54min - Atualizada em 29/10/2021 às 09h54min

Em Rondônia, Polícia Federal mira quadrilha que fraudou Auxílio Emergencial com ajuda de servidor público

Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Segundo a PF, um dos suspeitos é servidor público municipal

Gazeta Rondônia

A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação 'Décima Parcela' nesta sexta-feira (29) para cumprir dois mandados de busca e apreensão em Ji-Paraná (RO). O objetivo é apurar indícios de fraudes “massivas” na distribuição do auxílio emergencial que seriam comandadas por uma organização criminosa.
 
De acordo com informações da PF, um dos suspeitos de participar do esquema é servidor público municipal. Além da busca e apreensão, a Justiça autorizou o sequestro de bens e bloqueios em contas bancárias dele. A identidade do servidor não foi revelada.
 
As investigações da PF analisaram que a organização utilizou o nome e documentação de terceiros para obter o benefício do auxílio emergencial.
 
O nome da operação faz referência a um diálogo em que um dos investigados cita uma lista de 10 CPF’s utilizados com a intenção de fraudar o auxílio.
 
Auxílio
 
O auxílio emergencial é um benefício financeiro criado pelo governo federal durante a pandemia da Covid-19. O objetivo é amparar as famílias de baixa renda a enfrentar o momento de crise socioeconômica.

Inicialmente, o valor pago aos beneficiários era de R$ 600 a R$ 1200 reais e deveria durar três meses. Com o passar do tempo, o benefício foi sendo prorrogado e o valor reajustado. Atualmente as parcelas do auxílio emergencial varia de R$ 150 a R$ 375. Fonte: G1.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp