20/11/2021 às 09h44min - Atualizada em 20/11/2021 às 09h44min

Dia Nacional da Consciência Negra: 7 livros para compreender a data

20 de novembro tem o intuito de celebrar e relembrar a luta dos negros contra a opressão no Brasil

Gazeta Rondônia
Força, dor e resistência definem o que a população negra vive no Brasil desde a época da colonização. Para jogar luz em debates infelizmente ainda bem atuais como racismo e desigualdade social, criou-se o Dia Nacional da Consciência Negra.

O dia 20 de novembro relembra a morte de Zumbi, que foi líder do Quilombo dos Palmares, na região Nordeste, uma comunidade livre formada por escravos fugitivos dos engenhos, além de índios e brancos pobres expulsos das fazendas. A data também tem o intuito de celebrar e relembrar a luta dos negros contra a opressão no Brasil.

Para reforçar a importância do povo e da cultura afro-brasileira, o Metrópoles elencou sete livros para ler não apenas no Dia da Consciência Negra. Confira!

Olhos D’Água, por Conceição Evaristo – Editora Pallas
Em Olhos d’Água, estão presentes mães, filhas, avós, amantes, homens e mulheres. Todos evocados nos vínculos e dilemas sociais, sexuais e existenciais. A obra recria as duras condições enfrentadas pela comunidade afro-brasileira.

Quarto de Despejo, por Carolina Maria de Jesus – Editora Ática
O livro revela o cotidiano triste e cruel da vida na favela. A linguagem simples comove o leitor pelo realismo e olhar sensível na hora de contar sobre e vivência do personagem na comunidade do Canindé, em São Paulo.

Pequeno Manual Antirracista, por Djamila Ribeiro – Editora Companhia das Letras
Em onze capítulos curtos, a autora apresenta caminhos de reflexão para quem quer aprofundar a percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas.

Quando me Descobri Negra, por Bianca Santana – Editora Sesi-SP
Por meio da experiência, a autora consegue desvelar um processo contínuo de rompimento de imposições sobre a negritude; de desconstrução de muros colocados à força que impedem um olhar positivo sobre si.

O Genocídio do Negro Brasileiro, por Abdias Nascimento – Editora Perspectiva
O Genocídio do Negro Brasileiro traz a constatação de um fato a despeito do trabalho dos ativistas e da mudança de mentalidade na academia: a situação continua inalterada.

Racismo Linguístico, por Gabriel Nascimento – Editora Letramento
A novidade da obra é mostrar tanto as ausências da linguística tradicional quanto o caminho para renovar essa área. Ela dá continuidade ao projeto anticolonial de autores clássicos como Franz Fanon e à crítica decolonial contemporânea, que está transformando debates acadêmicos e políticos ao redor do mundo.

Na Minha Pele, por Lázaro Ramos – Editora Objetiva
Lázaro Ramos divide com o leitor reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação. Na Minha Pele também mostra episódios íntimos da vida de Ramos e divide as dúvidas, descobertas e conquistas do autor.

Fonte: Metrópoles.
 
 
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você desenvolveu algum transtorno relacionado à saúde mental durante a pandemia?

35.2%
4.9%
8.2%
8.8%
42.9%
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp