03/02/2022 às 19h48min - Atualizada em 03/02/2022 às 19h48min

Quadrigêmeos são vacinados juntos um ano depois de perderem a avó para a Covid-19

Gazeta Rondônia

Após completarem 11 anos, os quadrigêmeos Mateus, Miguel, Marcos e Mariana foram juntos tomar a primeira dose de vacina contra a Covid-19, em Cuiabá, nesta terça-feira (1º). Eles foram acompanhados do pai à Universidade de Cuiabá (Unic) para a imunização.

Ao g1, a mãe deles, Aline Bianchi, disse que os filhos estavam um pouco ansiosos um dia antes da imunização, principalmente porque eles perderam a avó por causa da Covid-19, no dia 12 de abril do ano passado. Essa perda de uma pessoa próxima, segundo ela, contribuiu para que eles entendessem a importância da vacinação.

 

 

“Eles estavam na expectativa da vacina, porque sabem da importância. Eles perderam a avó no ano passado pra Covid, que foi um dia depois do meu aniversário. Isso aconteceu bem no período em que ela se mudou para o mesmo condomínio que o nosso e mal conseguimos aproveitar o tempo com ela”, contou.

 

Para 'driblar' o medo de agulha, ela explicou aos quadrigêmeos que não doía e que, se caso doesse, seria passageira. “Eu expliquei que não doía. Porque eu sou a pessoa que mais tem medo de agulha nessa casa", disse.

Os quadrigêmeos nasceram prematuros, com 32 semanas e cinco dias de gestação. Eles ficaram um tempo internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica para ganhar peso.

Segundo Aline, eles só voltaram ao hospital por causa de casos simples, como de ter batido o queixo durante uma brincadeira e necessitado de pontos.

Eles estudam juntos na mesma turma. De acordo com Aline, os filhos costumam se ajudar nos estudos. São parceiros e, como todos os irmãos, com um pouco de brigas rotineiras normais à idade.

“Mesmo nascendo em questão de minutos de diferença, eles têm personalidades totalmente diferentes. Cada um com seu grupo de amigos, cada um com suas preferências de brincadeiras e de comida. Mas eles brincam bastante. Eles são muito parceiros, se ajudam na escola. Eles estão na mesma sala, os quatro. Mas em casa é movimentado o tempo todo, parece uma festa", contou.

Em casa, os quadrigêmeos seguem uma rotina planejada para ocupar o tempo. Segundo Aline, cada um tem um dia específico para determinada atividade, como, por exemplo, o dia de ajudar a mãe na cozinha e levar o cachorro para passear.

"No dia a dia, temos uma rotina por ser muitas crianças temos que determinar algumas tarefas, cada um tem uma função de tarefas domésticas, como um dia para cuidar dos cachorros, que são dois vira-latas adotados. E também de ser o braço direito da mamãe na cozinha ou do papai em determinado dia", explicou.

 

Vacinação infantil

 

Além das doses da Pfizer para as crianças, o público infantil também conta com a aplicação da vacina da CoronaVac.

Apenas crianças de 5 anos, imunossuprimidas ou com comorbidades não poderão tomar essa vacina porque os estudos para este grupo específico ainda não foi concluído, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Nesse caso, o recomendado pelas autoridades sanitárias é a aplicação da Pfizer pediátrica.

Apesar da imunização para as crianças ter iniciado há duas semanas no estado, alguns municípios estão registrando baixa procura nas unidades de saúde. É o caso de Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste e Rondonópolis.

Em Mato Grosso, 1,4% do público entre 5 e 11 anos recebeu a primeira dose da vacina contra Covid-19. Os dados da baixa procura pela vacinação de crianças são da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

 

Fonte: G1


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp