07/02/2022 às 15h11min - Atualizada em 07/02/2022 às 15h11min

Auxílio emergencial foi pago indevidamente a quase 2 milhões de pessoas

Gazeta Rondônia

Um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU), de dezembro de 2021, apontou que pagamentos irregulares das quatro parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial, em 2020, pode ter gerado um prejuízo de R$ 808,9 milhões à União.
 
Ao mesmo tempo que pagamentos irregulares foram feitos, famílias que realmente necessitavam do benefício, deixaram de receber. Segundo a CGU, cerca de 1,8 milhão de pessoas podem ter recebido as parcelas indevidamente, 3,2% do total de inscritos no programa.
 
O referente pagamento das quatro parcelas de R$ 300 aconteceu entre abril e agosto de 2020, antes de ser prorrogado, o pagamento do Auxílio Emergencial era de R$ 600. Com o grande número de equívocos, o Ministério da Cidadania, responsável pelo programa foi obrigado a tomar medidas de segurança, em conjunto com outros órgãos federais.
 
As devoluções e estornos dos valores não sacados totalizaram R$ 44,4 milhões, do total de R$ 808,9 milhões.
 
Veja abaixo a quem o governo pagou indevidamente as quatro parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial.
 
Em todas as hipóteses, os indivíduos não se qualificavam para receber:
 
15,7 mil pessoas mortas;
 
38,2 mil presos;
 
16,7 mil brasileiros morando no exterior;
 
822 mil pessoas com emprego formal;
 
240 mil famílias com renda superior ao exigido;
 
18 mil famílias com mais de um beneficiário;
 
75,6 mil pessoas que receberam mais parcelas do que o permitido;
 
160,6 mil pessoas que receberam a parcela, ao mesmo tempo que receberam valores do INSS, e 442,2 mil beneficiários que receberam a parcela, ao mesmo tempo que receberam Bolsa Família.

 
Fonte: Metrópoles.
 

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale Conosco!
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp