04/11/2022 às 10h40min - Atualizada em 04/11/2022 às 10h40min

Escola suspende aulas após estudante ser agredido por membros de extrema direita em ônibus

Gazeta Rondônia

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90

A Escola Técnica Vasco Antônio Venchiarutti (ETEVAV), de Jundiaí (SP), suspendeu as aulas nesta sexta-feira (4) depois que um estudante ficou ferido após ser agredido por mebros de grupo de extrema direita em um ônibus.

A agressão aconteceu nesta quinta-feira (3), quando um ônibus com estudantes passou em frente ao 12º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC), onde ocorria um ato a favor do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O estudante Vitor Cotrim, de 18 anos, contou que as agressões ocorreram quando os passageiros do ônibus gritaram palavras contra o presidente e criticando o ato. Neste momento, segundo o aluno, os bolsonaristas retrucaram e um deles atirou uma pedra no vidro do ônibus, que estilhaçou e atingiu o seu supercílio.

Após o caso, a diretoria da unidade informou que as aulas presenciais vão ficar suspensas nesta sexta-feira (4) por segurança aos alunos que circulam na região, que ainda tem concentração de bolsonaristas.

 

O que aconteceu

 

A agressão aconteceu na quinta-feira (3). Os vídeos gravados mostram que um grupo de bolsonaristas cercou o veículo. Em outras imagens, já é possível ver o grupo dentro do ônibus, ameaçando os estudantes.

"Depois de terem mirado a pedra em mim, eles bateram muito no ônibus e devem ter forçado o motorista para entrar. Não tem como julgar o motorista, mas acho que ele foi coagido, acho que ele abriu a porta depois de gritarem com ele. Nessa, eles começaram a intimidar a gente: 'Fala agora! Fala do Lula de novo! 'E foram intimidando gente que nem tinha falado nada e só estava sentado no ônibus seguindo viagem e querendo ir embora depois de mais um dia de aula", relata Vitor.

O estudante ainda contou que havia um carro da Polícia Militar próximo ao local. Segundo ele, os agentes não fizeram intervenções na briga.

"Eles não fizeram nada. Nada, nada mesmo. Só depois que viram que eu estava sangrando que vieram falar comigo e com o motorista. Eles disseram que, se o motorista quisesse fazer um boletim de ocorrência, eu teria que ir junto porque ia ter que fazer corpo de delito, mas foi só."
 

O que dizem as autoridades

Em nota, a Prefeitura de Jundiaí informou que a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) lamenta o ocorrido e que a empresa de ônibus prestará as informações ao plantão policial para o registro de boletim de ocorrência. A prefeitura também disse que as imagens das câmeras do ônibus estão à disposição da Justiça.

Já a Secretaria de Segurança Pública do Estado divulgou a seguinte nota sobre a situação: "Dois adolescentes que estavam em um transporte escolar ficaram feridos após serem agredidos enquanto o veículo passava por uma manifestação nesta quinta-feira (3), em Jundiaí. O caso foi apresentado no 1º DP de Jundiaí, onde o boletim de ocorrência está sendo registrado. Mais detalhes serão fornecidos após a conclusão do registro." Fonte: G1

Gazeta Rondônia Publicidade 790x90


Notícias Relacionadas »
Comentários »